Amazonas Conteúdo & Informação Pesquisa & Publicações

Instituto Tiradentes do Pará publica pesquisa de avaliação de gestão em Rio Preto da Eva, sem nenhum pesquisador pisar no município

Amazonas | Terça Feira

Está sendo veiculado nos últimos dias uma pesquisa de opinião pública realizada no município de Rio Preto da Eva, do qual avaliou a gestão do prefeito Anderson Sousa.

Porém, algumas características peculiares do estudo, denotam erros grosseiros e absurdos que podem evidenciar dados errados, ou seja, uma pesquisa para produzir dados corretos precisa ser feita com rigor metodológico correto. No entanto, esta pesquisa do Instituto Tiradentes, aparenta ter erros metodológicos absurdos.

Confira a seguir análise de Eric Barbosa, diretor da empresa Pontual Pesquisas.

FB_IMG_1508250365166

 

Análise por Eric Barbosa

A pesquisa em questão, apresenta algumas inconsistências na elaboração e no desenvolvimento do estudo, realizado nos dias 13 a 27 de julho.

Consideração 01

A primeira consideração que aponto e a representação do próprio Instituto Tiradentes. Trata se de um Instituto criado no ano de 2003 por um grupo de vereadores da cidade de Viçosa em Minas Gerais. Ou seja, um Instituto deve ser isento, na posição de avaliador. Além disso, o referido Instituto está localizado no Pará, sem nenhum histórico de trabalho no Amazonas ou qualquer um dos municípios do nosso estado.

Consideração 02

O Instituto utiliza uma metodologia incompatível com o contexto do Amazonas. Já denunciei outras pesquisas realizadas da mesma forma. O Instituto Tiradentes só realiza pesquisas de opinião pública por telefone, isso mesmo, através de ligações. Então faço o seguinte questionamento, como foi possível alcançar as pessoas para responder a pesquisa através de ligação;

Todas as pessoas que compõe amostra no município, tem a disponibilidade de um aparelho celular?

Todas atenderam o telefone e responderam pacientemente todas as questões?

Quem conhece a realidade dos municípios do Amazonas sabe que grande parte da população não tem acesso a um telefone, o que exclui alguns segmentos da coleta de dados, como pessoas mais idosas e que moram em áreas de difícil acesso.

Consideração 3

Para se ter uma amostra representativa do município, você precisa escutar pessoas de diferente idade, seja da categoria de 25 a 35, 36 a 46 e mais de 50. Todas devem ter chances aleatórias de entrar na pesquisa. Fazer pesquisa através de ligações, não possibilita cumprir esse rigor metodológico. Certamente esses dados apurados e publicados pelo Instituto Tiradentes, não suportam uma simples auditoria, por causas de erros graves em sua metodologia.

Sendo assim, os dados sobre avaliação da gestão do prefeito da cidade Rio Preto da Eva podem conter erros, e foram publicados sem nenhum respeito a legislação ou as normas científicas.

Consideração 4

A pesquisa de avaliação da gestão do prefeito de Rio Preto da Eva, foi realizada pelo Instituto Tiradentes, sem que qualquer um dos pesquisadores ou coordenador tenha “pisado” no município. Sem comentários, não tem como discutir tal absurdo.

Consideração 5

O envio dos resultados da pesquisa e feito pelo correio, coisa impensável por uma empresa séria. Além disso, a empresa emite certificados sobre a colocação dos vereadores e prefeitos quanto ao seu desempenho na pesquisa. Porém, a foto emitida pelo próprio Instituto, demostra na verdade trata de um convite para o um Seminário que acontece no Pará todos os anos, que premia todos os políticos que supostamente aparece bem nas pesquisas realizada pelo Instituto Tiradentes. Trata se de um conflito de interesse,

Consideração 6

A pesquisa de avaliação e uma fotografia do momento, como um Instituto pode realizar a pesquisa em Julho, e premiar em Setembro com critério sua própria pesquisa?. O gestor público e avaliado constantemente pela população, o que é recomendável no prazo de 60 em 60 dias.

Consideração final

O Instituto Tiradentes, realizou pesquisa de avaliação do prefeito do município de Rio Preto da Eva, sem nem pisar no município.

As pessoas participam através de ligação telefônica, porém, só quem tem telefone e tem disponibilidade de atender no momento da ligação.

O resultado é enviado por correio…

O Instituto premia com uma medalha, os políticos bem colocados em sua própria pesquisa, após se inscreverem no congresso e pagar sua inscrição. Detalhe, no Pará.

Um Instituto de pesquisa do Pará, realizando pesquisa de avaliação no Rio Preto da Eva, sem nunca nenhum dos seus pesquisadores ter ido no cenário da coleta.

Infelizmente, gestores não priorizam o zelo técnico em pesquisas de opinião pública,

Esta pesquisa divulgada e publicada como pesquisa de avaliação de gestão, definitivamente NÃO é pesquisa de avaliação!

Trata se de uma tentativa de um estudo mal concebido, sem nenhum rigor técnico, com fortes evidências de resultados errados. Este estudo não suportaria uma simples auditoria.

Por fim…segue análise

Eric Barbosa – Diretor da Pontual Pesquisas

%d blogueiros gostam disto: