Opinião

Artigo | Pesquisa eleitoral da Intake: Curiosidades e questionamentos por Eric Barbosa

Manaus | Terça Feira (24/04)


Nesta terça feira (24/04), foi publicada uma pesquisa eleitoral para governo e senado no Amazonas pela empresa Intake. Não considerando os números, alguns pontos do referido estudo são necessários para a reflexão, e estimular o eleitor e demais interessados do processo político a reflexão. Afinal, para uma pesquisa ser divulgada, ela precisa ter embasamento técnico, para poder evidenciar um ‘’retrato’’ fidedigno, caso contrário, está sujeita a cair na desconfiança e descrédito dos números apresentados.

1º Argumentação:

Ao ler o relatório, um dado evidencia um questionamento imprescindível, que salta a curiosidade do autor deste texto, um questionamento que precisa de resposta, para assim se conhecer a ‘’formula’’ que a empresa Intake usou. A empresa afirma ter realizado 1100 entrevistas, sendo Manaus e 7 municípios, (Itacoatiara; Careiro; Manacapuru; Presidente Figueiredo; Iranduba; Rio Preto da Eva; Novo Airão e Silves), em 4 dias, ou seja, do dia 18 a 21 de Abril. No registro do TSE, afirma que foram pesquisados zona urbana e rural do município. É possível realizar uma pesquisa deste porte em 4 dias? Disponibilizamos o espaço para que os responsáveis da empresa Intake, disponibilize a formula.

2º Argumentação

No relatório da pesquisa publicada, não consta o número da amostra, mas em busca no TSE, a empresa afirma ter aplicado 1100 entrevista, sendo 700 em Manaus, 35 Careiro; 50 em Iranduba; 111 em Itacoatiara; 111 em Manacapuru, 17 em Novo Airão; 38 em Presidente Figueiredo; 26 em Rio Preto da Eva e 12 entrevistas em Silves. Vamos para a reflexão da amostra.

  1. 12 eleitores entrevistados em Silves?, foram 6 na zona rural e 6 na zona urbana?
  2. 26 em Rio Preto da Eva. Quantos zona urbana e rural, como foi feito isso.

Manaus representa 54% dos eleitores e o interior 46%, a empresa não considerou esse cálculo ajustado, afirmando alcançar uma margem de 3%. Segundo amostragem que a empresa aplicou, não é possível afirmar que estes números representam o Amazonas. Além disto, no relatório consta que a empresa pesquisou amostra de 63% da capital e 37% do interior, isso representa um erro, não refletindo assim uma ‘’fotografia’’ fidedigna das intenções de votos para governo e senado desta eleição. Quanto ao sexo, a empresa não obedeceu pesquisar 53% de mulheres e 47% de homens, cometeu a desproporção de pesquisar 51% de mulheres e 49% de homens, pontos crucias a serem considerados em qualquer pesquisa eleitoral.

3º Argumentação

O estudo não descreve como foi obedecida a amostra em Manaus, quanto aos % das 06 zonas da cidade. Quanto ao interior, não é possível você ter números das intenções de modo ajustado, ouvindo a opinião de apenas 400 eleitores. Segundo Marcel Valin, da empresa PROJETA, os números publicados nesta pesquisa, não apresentam força de evidência, por não considerar municípios de grande representatividade do eleitorado como; Tabatinga; Tefé e Parintins.

Por fim, objetivo deste texto é trazer a reflexão sobre os possíveis pontos a serem ajustados pela empresa, e abrir o espaço para respostas dos questionamentos apresentados.

Redação por Eric Lima

Redação

Redação

Equipe séria e compromissada com a veracidade da informação, assim como os princípios éticos e legais na produção de matérias jornalísticas e estudos com base em pesquisas confiáveis e fidedignas.

Add Comentário

Clique aqui para postar um comentário

%d blogueiros gostam disto: