Opinião

Últimas | Coligação de Omar e Bisneto conseguem impedir pela 2º vez através de decisão judicial Instituto Pontual de divulgar pesquisa em menos de 7 dias. Entenda

Manaus | 05/09


A coligação “Amazonas com segurança’’ do candidato Omar Aziz e Artur Bisneto em menos de 1 semana conseguiu impedir através de decisão judicial que o Instituto Pontual não divulgue os seus dados de pesquisa sobre as eleições no Amazonas.

A 1ª ação da coligação aconteceu na pesquisa que o Instituto registrou no dia 23/08 com coletas de dados em Manaus e os 05 maiores municípios em números de eleitores. Omar e Bisneto conseguiram uma decisão em tutela de urgência 24 horas antes de o Instituto divulgar para o público os dados sobre o desempenho dos candidatos nesta eleição para o governo do Amazonas.

No final desta tarde de quarta-feira (05/09), Omar Aziz e Artur Bisneto conseguiram uma segunda decisão em caráter de tutela de urgência impedir a divulgação da 2ª pesquisa do Instituto registrada no dia 30/08, que estaria autorizada para ser divulgada na manhã de quinta-feira (06/09). O juiz concedeu a coligação de Omar e Bisneto, uma decisão em urgência, 12 horas antes da divulgação dos dados do Instituto.

Nesta semana, apenas 03 Instituto iriam publicar seus dados. O Instituto Pontual do pesquisador Eric Barbosa,  Intake de Aldous Santana e DMP de Ronaldo Tiradentes. Ao contrário da DMP e da Intake, apenas o Instituto Pontual foi impedida de publicar dados a pedido da coligação de Omar e Bisneto, sendo a 2º invertida contra o Instituto em menos de 1 semana.

Com a decisão favorável para coligação de Omar e Bisneto, apenas a Empresa DMP e Intake estão autorizadas a publicar dados sobre a eleição para o governo do Amazonas, uma vez que Omar e Bisneto não tentaram impedir através da justiça a divulgação das pesquisas dos 02 Institutos, DMP & Intake.

”Somos um Instituto sério, com capacidade técnica e com histórico de acertabilidade nas últimas eleições. Não consigo entender todo esse esforço do candidato Omar Aziz e Artur Bisneto de impedir a divulgação dos dados de nossa pesquisa, através da justiça. Até o momento, eles só impediram o meu Instituto de publicar e não moveram contra outros Institutos. Essa prática deles não vai mudar os números da eleição, principalmente os nosso que diverge dos números publicados até dos outros Instituto. disse Eric Barbosa

A coligação argumentou para o juiz que o Instituto Pontual, não procedeu com a coleta das seguintes informações (nome, telefone e endereço) dos eleitores participantes da pesquisa. Em nenhum lugar do mundo em pesquisa eleitoral, os dados de nome, telefone e endereço residencial são coletados para participantes de pesquisa eleitoral. Porém, o juiz acatou o pedido da coligação.

Redação

Redação

Redação

Equipe séria e compromissada com a veracidade da informação, assim como os princípios éticos e legais na produção de matérias jornalísticas e estudos com base em pesquisas confiáveis e fidedignas.

Add Comentário

Clique aqui para postar um comentário

%d blogueiros gostam disto: