Conteúdo & Informação

Últimas | Saúde no Amazonas pode entrar em colapso, após paralisação de Médicos, Enfermeiros e Cooperativas.

Manaus | Saúde Pública


O Sistema de Saúde no Amazonas, apresenta três níveis de complexidade, sendo: atenção básica, média complexidade e alta complexidade. Atenção básica e de responsabilidade da gestão municipal, por decreto federal abrangendo 85% da resolutividade dos problemas de saúde da população, sendo 15% na média complexidade e 85% na alta complexidade.

Na prática, no Amazonas, a pirâmide determinada para resolutividade dos problemas está invertida, pois, 85% dos problemas de saúde são resolvidos na alta complexidade: Hospitais e Pronto Socorro, como João Lúcio e HPS 28 de agosto. Com a responsabilidade de atender 85% dos problemas de saúde, os hospitais exercem um papel crucial na assistência de saúde a população.

Nesta manhã de sexta-feira, Médicos, Enfermeiros e Cooperativas Médicas, resolvem parar as atividades, por falta de pagamento da Secretária de Saúde (SUSAM), chefiada pelo Secretário Francisco Deoadato, que segundo Cooperativas Médicas, não efetua pagamento desde o mês de agosto.

As manifestações já acontecem na frente da Sede do Governo, com assinatura de um documento único por todas as cooperativas que prestam atendimento à população. Diante disto, a SUSAM precisa de uma iniciativa em caráter de urgência em resolver a falta de pagamento dos profissionais que atuam nas cooperativas, visto o risco de paralisação no atendimento da população.

Em anexo, acesse documento com assinaturas de todas as cooperativas que prestam assistência de saúde ao governo.

Redação