Brasil Conteúdo & Informação Política no Brasil

Bomba | Editores do The Intercept Brasil afirmam que apenas 1% do material foi analisado e publicado

Manaus | 11 de Junho de 2019 (Terça-feira)


Após a repercussão sobre o caso, entrevistas foram concedidas na última segunda-feira (10) pelos editores do The Intercept Brasil, Gleen Greenwald e Leandro Demori, que afirmaram que apenas 1% do material recebido por fontes anônimas do vazamento de conversas de procuradores do MPF e do ex-juiz federal Sérgio Moro, foi analisado e publicado.

Em uma entrevista a Rádio Gaúcha, no programa Time Lime, Leandro Demori fez uma comparação ao arquivo Snowden para garantir a propriedade do tamanho de arquivos que foram obtidos sobre esse caso.

“A gente não está divulgando o tamanho do arquivo, mas é maior que o arquivo Snowden. Só para vocês terem uma ideia, em uma das reportagens a gente fala de um dos grupos, que é dos procuradores da Lava-Jato em Curitiba, gerou 1.700 páginas de pesquisas. E tem centenas de grupos e conversas. Eu diria que a gente olhou 1% do material, é muita coisa”, declarou Demori.

Já em outra entrevista fornecida para a UOL, Gleen Greenwald declarou que ainda há uma troca de mensagens entre o presidente Jair Bolsonaro e Moro antes da eleição presidencial.

“Temos conversas que ainda não reportamos sobre o Moro estar pensando na possibilidade de aceitar uma oferta do Bolsonaro, caso ele ganhasse. Isso foi antes da eleição, acho que depois do primeiro turno”, disse.

Segundo Demori, o trabalho que eles estão tendo no momento é analisar todas as informações que constam um período de 3 anos, e realizando um “pré-filtro” como um “menu de histórias” para esclarecer o que seria de interesse do público, além disso, o editor respondeu a declarações que as mensagens foram pegas “fora de contexto”.

“Aparentemente, a gente está trabalhando com um menu de histórias. Estamos fazendo um pré-filtro, para ver se é de interesse público e se elas param em pé. O procurador ontem [9] falou que as conversas são descontextualizadas, negou veemente. O contexto está absolutamente claro, os chats são detalhados, extensos, com horários, com data. Não há dúvidas sobre o que eles estão falando. Agora estamos olhando para essas outras histórias”, informou.

Foto: Reprodução.

Redação por Portal Pontual.