Brasil Conteúdo & Informação Política no Brasil Tecnologia

Plágio em 2015 | Gleen Greenwald se defende das acusações que sofre do governo Bolsonaro e cita expulsão de Joice Hasselmann do jornalismo

Manaus | 13 de Agosto de 2019 (Terça-feira)


O jornalista Gleen Greenwald usou o seu perfil no Twitter para reforçar a sua defesa das acusações que vem sofrendo do governo Bolsonaro (PSL) e seus apoiadores e ainda citou a expulsão da ex-jornalista Joice Hasselmann, atualmente deputada federal.

A mesma foi acusada de plágio no ano de 2015 e condenada pelo Sindicato da categoria do Paraná.

A declaração foi uma espécie de resposta para as falas da deputada que forneceu uma entrevista à revista Época, na última sexta-feira (9), onde ela defendeu a prisão do jornalista do The Intercept e garantiu que não é a favor de “prender jornalistas, mas bandidos’’.

Em seus tweets, o jornalista também anexou a decisão do Conselho de Ética do Sindicato dos Jornalistas do Paraná (Sindijorpr) da expulsão de Joice do quadro dos profissionais do órgão por acusação de plagiar textos de 23 diferentes jornalistas.

“Se a mentalidade do PSL prevalecesse nas democracias – que os jornalistas são culpados de crimes quando divulgam informação obtida ilegalmente por suas fontes – metade das redações mais importantes do oeste (do NYT e WashPost ao Guardian e LeMonde) estaria na prisão. #fascismo”, escreveu.

“Além de tudo isso, somente na PSL uma pessoa expulsa da profissão de jornalista por plágio reincidente poderia ser a porta-voz da ética no jornalismo. Por favor, Joice, nos ensine mais (*este tweet foi escrito por mim*)”, citou Greenwald, anexando a decisão do Sindijorpr.

Foto: Reprodução.

Redação por Ana Flávia Oliveira.