quinta-feira, junho 20, 2024
HomeAmazonasFVS-RCP amplia os serviços de doenças com notificação obrigatória

FVS-RCP amplia os serviços de doenças com notificação obrigatória

Publicado em

Artigo Relacionado

Inpa compõe Rede Amazônica de instituições científicas para desenvolver bioeconomia na região

Oito institutos científicos da Pan-Amazônia do Brasil, Colômbia, Peru, Bolívia e Equador unem esforços...

O avanço no monitoramento das Doenças de Notificação Compulsória (DNC), ou seja, são doenças que têm o monitoramento obrigatório.

Aqui no Estado, o acompanhamento é realizado através das unidades do Núcleo de Vigilância Epidemiológica Hospitalar (NVEH), que foram ampliadas de 19 para 51 núcleos de 2021 a 2023.

Essas unidades são responsáveis por identificar, notificar e investigar casos suspeitos ou confirmados de DNC, evitando, assim, que ocorra a disseminação de doenças infecciosas.

Sendo um setor da Vigilância em Saúde, no Amazonas, os NVEH são coordenados pela Rede Estadual de Vigilância Epidemiológica Hospitalar (REVEH) na Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas – Dra Rosemary Costa Pinto (FVS-RCP), vinculada à Secretaria de Estado e Saúde do Amazonas (SES-AM).

De acordo com a diretora-presidente da FVS-RCP, Tatyana Amorim, o monitoramento da vigilância epidemiológica hospitalar desempenha um papel de extrema importância na proteção da saúde pública e no controle de doenças.

Além disso, o acompanhamento permite a identificação precoce de emergências em saúde, possibilitando a implementação de medidas rápidas e efetivas.

A apoiadora técnica da REVEH, Fabiana Bianchet, pontuou a relevância das atividades dos núcleos, pois eles são unidades importantes nas unidades hospitalares, porque são eles que demonstram quando há algum evento de saúde pública.

Unidades no estado

Além das 30 unidades que ficam em Manaus, os núcleos de NVEH de vigilância estão em São Gabriel da Cachoeira, Presidente Figueiredo, Manacapuru, Santa Isabel do Rio Negro, Parintins, Coari, Tefé, Humaitá, Iranduba, Itacoatiara, São Paulo de Olivença, Barcelos, Lábrea, Rio Preto da Eva, Tabatinga, Tonantins, Guajará, Ipixuna, Silves e Itapiranga, para sempre fazer esse monitoramento e evitar a disseminação das doenças.

 

Texto: da redação, com informações de Portal FVS-RCP/AM. 

Fotos: divulgação.

 

 

 

 

Últimos Artigos

Inpa compõe Rede Amazônica de instituições científicas para desenvolver bioeconomia na região

Oito institutos científicos da Pan-Amazônia do Brasil, Colômbia, Peru, Bolívia e Equador unem esforços...

Estudo da FVS-RCP aborda sobre a tendência da Leishmaniose Tegumentar

Integrando as ações de pesquisa em vigilância em saúde no Amazonas, a Fundação de...

Estudo estima a efetividade do método Wolbachia no Brasil

Em maio de 2024, o Brasil bateu um recorde negativo. Foram 5 milhões de...

Galeria do largo recebe exposição ‘Portrait, entre o real e o abstrato’, nesta quarta

O Centro de Artes Visuais Galeria do Largo apresenta nesta quarta-feira (12/06), a partir...

Eric Lima

Criador do Portal Pontual

Mestrado em Saúde, Sociedade e Endemias na área de concentração de Epidemiologia de Agravos e Prevalentes na Amazônia pelo instituto Leônidas e Maria Deane (ILMD/FIOCRUZ), Universidade Federal do Amazonas (UFAM) e Universidade Federal do Pará (UFPA - 2013). Tem experiência em pesquisa na área de Epidemiologia, Saúde Coletiva com ênfase em Saúde Pública, Avaliação de Serviço em Saúde e Saúde Baseada em Evidências, desenvolvendo estudos nos temas: Tuberculose, Resistência aos fármacos, Tuberculose Multirresistente, Coinfecção TB/HIV.

Mais artigos como este

Inpa compõe Rede Amazônica de instituições científicas para desenvolver bioeconomia na região

Oito institutos científicos da Pan-Amazônia do Brasil, Colômbia, Peru, Bolívia e Equador unem esforços...

Estudo da FVS-RCP aborda sobre a tendência da Leishmaniose Tegumentar

Integrando as ações de pesquisa em vigilância em saúde no Amazonas, a Fundação de...

Estudo estima a efetividade do método Wolbachia no Brasil

Em maio de 2024, o Brasil bateu um recorde negativo. Foram 5 milhões de...