terça-feira, julho 23, 2024
HomeBrasilViolência Domestica: Ana Hickmann é agredida e ameaçada pelo marido

Violência Domestica: Ana Hickmann é agredida e ameaçada pelo marido

Publicado em

Artigo Relacionado

Ibama e Funai renovam parceria de atuação das Brigadas Federais em Terras Indígenas

O Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), juntamente com...

Neste último sábado, 11/11, a modelo e apresentadora Ana Hickmann registrou um boletim de ocorrência por lesão corporal e violência doméstica contra seu marido, Alexandre Corrêa. O caso foi registrado na delegacia de Itu (SP), cidade onde o casal reside.

Por causa da agressão, a apresentadora recorreu ao atendimento médico e precisou colocar uma tipoia em um dos braços.

De acordo com o BO, após uma discussão dos dois, Alexandre pressionou Ana Hickmann contra a parede e ameaçou agredi-la com cabeçadas, assustando a esposa e o filho, que estava no mesmo ambiente.

Ana conseguiu se soltar do agressor e ligar para a polícia, que ao chegar no local não encontrou o agressor.

O comunicado da acessoria de imprensa da apresentadora do programa “Hoje em Dia”, afirma que “Ana Hickmann agradece o carinho e a solidariedade dos fãs e informa que está em casa, bem e felizmente não sofreu maiores consequências em sua integridade física”.

Além disso, a modelo se pronunciou ao final do programa “Hoje em Dia” e agradeceu todo apoio que está tendo nesse momento delicado.

 

Violência Doméstica 

Uma das imagens que mais associamos à violência doméstica e familiar contra as mulheres é a de um homem, seja ele namorado, marido ou ex, que agride a parceira, motivado por um sentimento de posse sobre a vida e as escolhas daquela mulher.

Esse roteiro já é conhecido por quem atua atendendo mulheres em situação de violência: a agressão física e psicológica cometida por parceiros é a mais recorrente no Brasil e em muitos outros países.

Entretanto, essa recorrência não pode ser confundida com uma regra geral, pois de acordo com a Lei Maria da Penha (Lei nº 11.340/2006) a relação íntima de afeto não é somente em relações amorosas, ou seja, abrange, também, violência vinda de familiares independentemente do grau de parentesco, desde que a vítima seja uma mulher, em qualquer idade ou classe social.

Violência no Amazonas 

No estado, foram registrados 4.691 casos de violência contra a mulher, a maioria na faixa etária dos 10 aos 14 anos (26,1%).

Esses dados são do ano de 2022 e estão em um relatório produzido pela Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-RCP).

De acordo com o relatório, os tipos de violência que as mulheres mais sofrem são a física (39,3%), a sexual (21,5%) e a psicológica moral (11,2%).

Como forma de auxiliar as mulheres vítimas das violências, a Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania (Sejusc) dispõe da Casa Abrigo Antônia Nascimento Priante, um espaço que oferece refúgio, com endereço sigiloso para manter a integridade das mulheres e de suas famílias.

Nesse espaço elas podem contar com todo apoio que precisarem nesse momento delicado das suas vidas.

 

Texto: Isabelle Garantizado para Portal Pontual, com informações da CNN Brasil; Agencia Patrícia Galvão e Rádio Rio Mar. 

Fotos e vídeo: instagram da apresentadora; divulgação.

 

 

 

Últimos Artigos

Eleição 2024: David Almeida tem 29,8% Amom Mandel 25,2% e Roberto Cidade 12,8%, a 76 dias da eleição, diz Pontual

O Instituto Pontual Pesquisas divulga nesta segunda-feira, 22, a pesquisa para a disputa da...

Fiocruz AM apresenta áreas de atuação em pesquisa aos integrantes da ASEAN

O Instituto Leônidas e Maria Deane (ILMD/ Fiocruz Amazônia) recebeu nesta quarta-feira, 17/07, a...

Ambientalistas saem em defesa do Igarapé do Goiabinha em Manaus.

O ato ocorreu neste dia 10 de julho por ocasião da 7a. Reunião da...

Projeto ‘Aqui Tem Jazz’ promove circuito gastronômico em Manaus durante período do Amazonas Green Jazz Festival

A organização do Amazonas Green Jazz Festival, edição 2024, estão com as inscrições abertas...

Eric Lima

Criador do Portal Pontual

Mestrado em Saúde, Sociedade e Endemias na área de concentração de Epidemiologia de Agravos e Prevalentes na Amazônia pelo instituto Leônidas e Maria Deane (ILMD/FIOCRUZ), Universidade Federal do Amazonas (UFAM) e Universidade Federal do Pará (UFPA - 2013). Tem experiência em pesquisa na área de Epidemiologia, Saúde Coletiva com ênfase em Saúde Pública, Avaliação de Serviço em Saúde e Saúde Baseada em Evidências, desenvolvendo estudos nos temas: Tuberculose, Resistência aos fármacos, Tuberculose Multirresistente, Coinfecção TB/HIV.

Mais artigos como este

Eleição 2024: David Almeida tem 29,8% Amom Mandel 25,2% e Roberto Cidade 12,8%, a 76 dias da eleição, diz Pontual

O Instituto Pontual Pesquisas divulga nesta segunda-feira, 22, a pesquisa para a disputa da...

Fiocruz AM apresenta áreas de atuação em pesquisa aos integrantes da ASEAN

O Instituto Leônidas e Maria Deane (ILMD/ Fiocruz Amazônia) recebeu nesta quarta-feira, 17/07, a...

Ambientalistas saem em defesa do Igarapé do Goiabinha em Manaus.

O ato ocorreu neste dia 10 de julho por ocasião da 7a. Reunião da...