sábado, maio 25, 2024
HomeBrasilCaso Henry: Monique acusa Jairinho e seu advogado de combinarem versão inventada

Caso Henry: Monique acusa Jairinho e seu advogado de combinarem versão inventada

Publicado em

Artigo Relacionado

Ibama institui plano de atuação para emergência nuclear

O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) aprovou, no...

Em nova carta, Monique Medeiros, mãe de Henry, de 8 anos, traz versão diferente do depoimento que deu à polícia. O documento foi divulgado pelo Fantástico, com exclusividade, no domingo (2).

Na carta, a professora Monique Medeiros diz que o vereador Jairinho e seu advogado, André Barreto, combinaram uma versão inventada sobre a morte do filho. 

Conforme as investigações sobre o caso, o vereador Jairinho tentou acelerar o enterro do menino, ligou para um executivo do hospital e ao governado do Rio de Janeiro. As duas institução se negaram a interceder no caso.

A mãe de Henry diz na Carta, que o Dr. André se apresentou e disse que era casado, que tinha 4 filhos, que estudou para ser padre, que era religioso, que não pegava casos de homicídios se não acreditasse na inocência dos seus clientes. Ela conta que o advogado separou os dois. Fez uma entrevista particular com ela e depois, fez a mesma coisa com Jairinho. 

“No dia seguinte, o Dr. André foi até a casa do pai do Jairinho para conversarmos, mas que só aceitaria o caso se nos uníssemos e combinássemos uma versão inventada (…). Na mesma hora eu questionei por que eu não poderia dizer o que realmente tinha acontecido, já que tinha sido um ‘acidente doméstico’ (…). Eu ainda não estava satisfeita e disse que falaria a verdade, que eu não via problema algum (…). Foi quando a família dele disse que aquela seria a única versão! Que o Dr. André era um excelente criminalista, que ele teria cobrado 2 milhões de reais pelo casal (mas que só depois percebi que a defesa era apenas do Jairinho).”, relata na Carta a mãe de Henry.

A professora relatou ainda, que todos os seus passos eram controlados, todas as ligações que fazia havia alguém por perto, sempre monitorada e acalmava seus pais, dizendo que eram orientações do advogado. Era um controle absoluto.

 

“Ela estava sim isolada de muitas coisas e ela só pôde ter a noção da realidade muito tempo depois. Por isso a prisão dela representou de fato uma libertação dessa situação”, relatam os advogados.

 

Por Alessandra Aline Martins, com informações do Fantástico

Foto: Divulgação

Últimos Artigos

Seminário de Segurança Inovadora discute esta semana a ordem pública a partir de experiências bem sucedidas no país

Especialistas em segurança pública de todo o Brasil serão palestrantes no II Seminário de...

Promotor investiga suposto desvio de merenda escolar na rede de ensino da Prefeitura de Manaus

O promotor do Ministério Público do Amazonas (MP-AM), Marcelo Pinto Ribeiro, da 55ª Promotoria...

Abertas inscrições para oficina de pintura para pessoas com deficiência visual e baixa visão

Em comemoração aos 15 anos da audiodescrição no Amazonas, o Governo do Estado, por...

Márcia Perales lança livro sobre a democratização do ensino

A pesquisadora e escritora Márcia Perales Mendes Silva, diretora-presidente da Fundação de Amparo à...

Eric Lima

Criador do Portal Pontual

Mestrado em Saúde, Sociedade e Endemias na área de concentração de Epidemiologia de Agravos e Prevalentes na Amazônia pelo instituto Leônidas e Maria Deane (ILMD/FIOCRUZ), Universidade Federal do Amazonas (UFAM) e Universidade Federal do Pará (UFPA - 2013). Tem experiência em pesquisa na área de Epidemiologia, Saúde Coletiva com ênfase em Saúde Pública, Avaliação de Serviço em Saúde e Saúde Baseada em Evidências, desenvolvendo estudos nos temas: Tuberculose, Resistência aos fármacos, Tuberculose Multirresistente, Coinfecção TB/HIV.

Mais artigos como este

Seminário de Segurança Inovadora discute esta semana a ordem pública a partir de experiências bem sucedidas no país

Especialistas em segurança pública de todo o Brasil serão palestrantes no II Seminário de...

Promotor investiga suposto desvio de merenda escolar na rede de ensino da Prefeitura de Manaus

O promotor do Ministério Público do Amazonas (MP-AM), Marcelo Pinto Ribeiro, da 55ª Promotoria...

Abertas inscrições para oficina de pintura para pessoas com deficiência visual e baixa visão

Em comemoração aos 15 anos da audiodescrição no Amazonas, o Governo do Estado, por...