terça-feira, julho 23, 2024
HomeCotidianoDefensoria Pública de SP cria cotas para pessoas trans em concursos

Defensoria Pública de SP cria cotas para pessoas trans em concursos

Publicado em

Artigo Relacionado

Festival de Férias leva a garotada a um passeio histórico pelo Centro Cultural dos Povos da Amazônia

Diversão e aventura marcaram a abertura do Festival de Férias 2024, que ocorreu na...

O Conselho Superior da Defensoria Pública de São Paulo instituiu, pela primeira vez na história do órgão, cotas para pessoas transexuais em concursos para defensores. A decisão foi publicada na edição de sábado (11) do Diário Oficial paulista.

A norma estabelece que, do total de vagas disponibilizadas em concursos para ingresso nas carreiras de defensores e de servidores, 30% delas sejam reservadas para pessoas negras e indígenas, 5% para pessoas com deficiência e 2% para pessoas trans.

As cotas também se aplicarão a concursos e processos de seleção de estágios, que ainda terão 12,5% de suas vagas reservadas para mulheres em situação de violência doméstica e familiar.

Neste último caso, as vítimas precisarão apresentar uma autodeclaração no momento da inscrição, uma cópia de boletim de ocorrência ou uma declaração feita por serviços de atendimento atestando a violência.

“As reservas de vagas para pessoas negras, indígenas, trans e para mulheres em situação de violência doméstica e familiar valerão pelo período inicial de dez anos, devendo ser renovadas sucessivamente pelo mesmo prazo se constatado objetivamente que as desigualdades que ensejaram sua implementação ainda persistirem”, diz a publicação no Diário Oficial.

Negros, indígenas e trans que desejem disputar cargos na Defensoria Pública por meio de cotas deverão apresentar uma autodeclaração e passar por uma banca examinadora -colegiado que deverá ter paridade de gênero e equidade de raça em sua composição. Já às pessoas com deficiência será solicitado um laudo biopsicossocial.

A norma também prevê que as medidas afirmativas sejam estendidas, “na medida do possível”, a cargos comissionados e a contratos de prestação de serviços.

Caso não haja candidatos cotistas aprovados nos processos seletivos, as vagas serão remanejadas entre os inscritos na modalidade de ampla concorrência, respeitando a ordem de classificação geral do concurso.

Como mostrou pesquisa Datafolha no domingo (12), metade da população se declara a favor das cotas raciais no contexto das universidades públicas. O apoio é maior, de 60%, entre as pessoas com filhos em escolas particulares -que, teoricamente, seriam preteridos com a ação afirmativa.

Quanto mais jovem, escolarizada e de maior renda a pessoa, maior é o apoio às cotas raciais nas universidades. Posicionam-se contrários à ação afirmativa 34%. Outros 3% se mostraram indiferentes e 12% disseram não saber responder.

A pesquisa ouviu 2.090 pessoas a partir de 16 anos em 130 municípios. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

 

 

Por Mônica Bergamo/FOLHAPRESS

Foto: Reprodução

Redação por Bernardo Andrade

Últimos Artigos

Eleição 2024: David Almeida tem 29,8% Amom Mandel 25,2% e Roberto Cidade 12,8%, a 76 dias da eleição, diz Pontual

O Instituto Pontual Pesquisas divulga nesta segunda-feira, 22, a pesquisa para a disputa da...

Fiocruz AM apresenta áreas de atuação em pesquisa aos integrantes da ASEAN

O Instituto Leônidas e Maria Deane (ILMD/ Fiocruz Amazônia) recebeu nesta quarta-feira, 17/07, a...

Ambientalistas saem em defesa do Igarapé do Goiabinha em Manaus.

O ato ocorreu neste dia 10 de julho por ocasião da 7a. Reunião da...

Projeto ‘Aqui Tem Jazz’ promove circuito gastronômico em Manaus durante período do Amazonas Green Jazz Festival

A organização do Amazonas Green Jazz Festival, edição 2024, estão com as inscrições abertas...

Eric Lima

Criador do Portal Pontual

Mestrado em Saúde, Sociedade e Endemias na área de concentração de Epidemiologia de Agravos e Prevalentes na Amazônia pelo instituto Leônidas e Maria Deane (ILMD/FIOCRUZ), Universidade Federal do Amazonas (UFAM) e Universidade Federal do Pará (UFPA - 2013). Tem experiência em pesquisa na área de Epidemiologia, Saúde Coletiva com ênfase em Saúde Pública, Avaliação de Serviço em Saúde e Saúde Baseada em Evidências, desenvolvendo estudos nos temas: Tuberculose, Resistência aos fármacos, Tuberculose Multirresistente, Coinfecção TB/HIV.

Mais artigos como este

Eleição 2024: David Almeida tem 29,8% Amom Mandel 25,2% e Roberto Cidade 12,8%, a 76 dias da eleição, diz Pontual

O Instituto Pontual Pesquisas divulga nesta segunda-feira, 22, a pesquisa para a disputa da...

Fiocruz AM apresenta áreas de atuação em pesquisa aos integrantes da ASEAN

O Instituto Leônidas e Maria Deane (ILMD/ Fiocruz Amazônia) recebeu nesta quarta-feira, 17/07, a...

Ambientalistas saem em defesa do Igarapé do Goiabinha em Manaus.

O ato ocorreu neste dia 10 de julho por ocasião da 7a. Reunião da...