Amazonas Opinião

Coluna | Professor Nota 10 com Rodrigo Froes

AGRESSÃO CONTRA O PROFESSOR: UMA DURA REALIDADE EM PLENO SÉCULO XXI

A violência escolar é uma dura realidade que cresce em especial no que se refere aluno contra professor. Precisamos urgentemente de uma ampla reflexão sobre o assunto. São inúmeros fatos que caracterizam o contexto de violência que envolve a ação de alguns alunos contra seus professores: falta de respeito, ofensas, depredações de carro com risco, furos de pneus, tudo buscando aterrorizar o professor que no ato da docência busca aplicar disciplina e educação.
É preocupante tal realidade, um cotidiano de valores invertidos, em que a família cada vez mais deixa de educar transferindo a parte que lhe cabe para escola. Segundo a pedagoga Daiany Carvalho que traçou um panorama acerca do tema no Amazonas “Nota-se que cada vez mais os alunos vêm demonstrando comportamentos agressivos contra os professores, ferindo tanto a integridade física, quanto psicológica deles”, tais atitudes afastam o profissional do ambiente escolar causando prejuízo não somente ao professor, mas a dezenas de alunos que ficam sem aulas.
Hoje se faz necessário unir forças de Escola, Família, Conselho Tutelar e outros órgãos competentes a fim de: Enfatizar o papel da família e do professor para o desenvolvimento emocional e social dos alunos agressivos; Avaliar de que forma está sendo desenvolvida a relação aluno-professor e Identificar os fatores que levam à violência do aluno contra o professor.
Corriqueiramente nos deparamos nas redes sociais com vídeos e fotos de casos lamentáveis pelo Brasil de falta de respeito com os professores. Precisamos agir, unir forças para mudar essa realidade. Respeito aos professores de todas as formas se faz necessário. A ausência de limites na educação familiar instituída por pais demasiadamente tolerantes fecunda consequências desastrosas, produzindo crianças indisciplinadas, extremamente agressivas, insolentes e rebeldes.
Parafraseando Paulo Freire: “Não é possível refazer este país, democratizá-lo, humanizá-lo, torná-lo sério, com adolescentes brincando de matar gente, ofendendo a vida, destruindo o sonho, inviabilizando o amor. Se a educação sozinha não transforma a sociedade, sem ela tampouco a sociedade muda”.
#Educaçãoquetransforma. – Compartilhe essa ideia.

Rodrigo Fróes

Redação

Redação

Equipe séria e compromissada com a veracidade da informação, assim como os princípios éticos e legais na produção de matérias jornalísticas e estudos com base em pesquisas confiáveis e fidedignas.

2 Comentários

Clique aqui para postar um comentário

  • O problema de indisciplina e agressões contra docentes aumentou muito na última década devido a ausência de estrutura familiar e pela mentalidade equivocada de tratar o professor como mão de obra barata sem prestígio e poder. Grande parte dos jovens tem a visão que o professor é um profissional fracassado e desvalorizado, portanto não merece o respeito do mesmo patamar de outras profissões como: juízes, políticos e policiais.

  • Excelente trabalho! De fato uma dura realidade e uma ótima reflexão a toda sociedade brasileira…

    Teu artigo e todo o teu trabalho voltado ao cenário histórico e educacional de nosso país, vale encômios! Parabéns…

%d blogueiros gostam disto: