Brasil Conteúdo & Informação Mundo Política no Brasil

“Miserê!” | “Como o cara vai viver com R$ 24 mil?”, diz procurador de MG em áudio sobre redução de salário

Manaus | 11 de Setembro de 2019 (Quarta-feira)

Um áudio viralizou nas redes sociais do procurador Leonardo Azeredo dos Santos em uma sessão da Câmara de Procuradores do MPMG (Ministério Público de Minas Gerais), onde ele alega que não costuma viver com pouco e que não é ‘de origem humilde’. O áudio possui 1 hora e 40 minutos, sendo publicado no site da própria instituição. Confira aqui.

“Como é que o cara vai viver com R$ 24 mil? O que é que de fato vamos fazer para melhorar a nossa remuneração? Ou nós vamos ficar quietos? Eu não sei se vou receber a mais, se vai ter algum recálculo dos atrasados que possa me salvar, salvar a minha pele. Eu, de qualquer forma, já estou baixando meu padrão de vida bruscamente, mas eu vou sobreviver”, declarou o procurador.

O procurador questiona o procurador-geral da Justiça, Antônio Sérgio Tonet, sobre que medidas serão feitas para que tenha o pagamento garantido, porém, a fala não foi muito bem aceita já que Leonardo fala em um tom de deboche e arrogância.

“Eu quero saber se nós, ano que vem, vamos continuar nessa situação, ou se Vossa Excelência já planeja alguma coisa dentro da sua criatividade para melhorar a nossa situação. Ou se nós vamos ficar nesse miserê aí, ainda sob ameaça de não termos aumento”, questiona ele a Tonet.

Como se não bastasse, o procurador ainda fala sobre os seus gastos que chegam a R$ 4.500 em condomínio e IPTU. E que devido a isso, sua saúde mental está totalmente abalada, sendo preciso o auxílio de remédios.

“Eu e vários outros, já estamos vivendo abaixo de comprimido, abaixo de antidepressivo. Eu estou falando desse jeito aqui com dois comprimidos de sertralina por dia. Eu tomo dois ansiolíticos por dia e ainda estou falando desse jeito aqui. Você imagina se eu não tomasse? Ia ser pior que o Ronaldinho. Alguma coisa tem que ser feita”, reforçou Leonardo.

Foto: Reprodução.

Fonte: Metrópoles.

Redação por Ana Flávia Oliveira.

/* ]]> */